Connect with us

MUNDO CRISTÃO

Ateus entram na Justiça contra Bolsonaro por live de Páscoa com religiosos

Published

on

Ateus entram na Justiça contra Bolsonaro por live de Páscoa com religiosos

A celebração de Páscoa que reuniu o presidente Jair Bolsonaro e líderes religiosos, em 12 de abril, está sendo o motivo de uma ação judicial movida pela Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea).

A transmissão ao vivo foi exibida no domingo de Páscoa nas redes sociais do presidente e na TV Brasil. O SBT, emissora de Silvio Santos, chegou a exibir boa parte da videoconferência dentro de sua programação; sua esposa, Iris Abravanel, foi a mediadora do encontro.

A Atea entrou na Justiça contra o governo federal, o presidente da República e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), na qual pertence a TV Brasil. A associação alega que o uso da emissora pública para o encontro virtual com representantes do cristianismo e do judaísmo violou a Constituição.

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a Atea pede ainda que Bolsonaro fique proibido de repetir iniciativas do tipo e seja condenado a pagar R$ 100 mil por danos morais coletivos. O caso está na Justiça Federal do Distrito Federal.

Entre os líderes que participaram da celebração de Páscoa, estavam o pastor Silas Malafaia, o pastor e deputado federal Marco Feliciano (Republicanos-SP), os pastores e cantores André Valadão e Eyshila Santos e o missionário R. R. Soares. 

Também foram convidados o casal fundador da Igreja Renascer em Cristo, apóstolo Estevam e bispa Sônia Hernandes, o bispo Robson Rodovalho, da Sara Nossa Terra, o apóstolo Luiz Hermínio, do MEVAM, o padre Reginaldo Manzotti, o bispo católico dom Fernando Antônio Figueiredo, o rabino Leib Rojtenberg, entre outros.

A Atea argumenta que a exibição da live religiosa pela TV Brasil se somou à “sistemática violação da laicidade do Estado” por Bolsonaro. “A utilização da emissora para atender a interesses privados do presidente e de segmentos religiosos fere, indiscutivelmente, o interesse público. Está na hora de o Poder Judiciário frear isso”, diz a entidade.

“Além de uma violação frontal à Constituição, houve uma manifestação de preferência e favorecimento da Presidência por determinadas crença”, afirma Thales Bouchaton, advogado da Atea que ingressou com a ação civil pública.

Fé de maioria

Por outro lado, para estudiosos como Jean Marques Regina, que é especialista em direito religioso e vice-presidente do Instituto Brasileiro de Direito e Religião, a live de Páscoa não fere a Constituição, porque ela contemplou “a diversidade religiosa cristã” e “a fé é bem conceituada” pela maior parte da população brasileira.

“A laicidade do Estado não é um conceito fechado. Cada país, de acordo com sua história do relacionamento entre poder político e religião, molda institucionalmente as interações. Foi um bate-papo informal, não uma cerimônia religiosa propriamente dita. O presidente se reuniu com líderes para uma palavra de ânimo e encorajamento”, disse Jean.

A Atea foi fundada em 2008 e afirma ter hoje 14 mil membros em todo o país. O grupo defende bandeiras como a preservação do Estado laico e o combate à discriminação contra ateus e agnósticos.

Procurada pela Folha de S. Paulo, a EBC disse que não iria se manifestar sobre o assunto. A Presidência da República informou, por meio da Advocacia-Geral da União (AGU), que foi notificada do processo e “apresentará a manifestação dentro do prazo legal”.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2019 Noticia Gospel

%d blogueiros gostam disto: