Connect with us

POLÊMICA

Em culto, Bolsonaro diz que indicação de jurista evangélico ao STF deverá ocorrer “em breve”

Published

on

Em culto, Bolsonaro diz que indicação de jurista evangélico ao STF deverá ocorrer “em breve”

PROPAGANDA

A indicação de um evangélico para uma das vagas que serão abertas no Supremo Tribunal Federal (STF) voltou a ser mencionada pelo presidente Jair Bolsonaro durante um culto da Assembleia de Deus em Manaus (AM).

PROPAGANDA

Bolsonaro compareceu ao culto ao lado da primeira-dama Michelle Bolsonaro, e recebeu oportunidade de falar aos presentes por cerca de 15 minutos. Ao todo, oito mil pessoas compareceram ao evento, de acordo com os organizadores.

Em sua fala, o presidente da República destacou que um dos critérios para indicar um evangélico para o cargo de ministro do STF é o compromisso de lutar “pela manutenção da família”.

“Pegamos o Brasil moral, ética e economicamente falido. Não sou evangélico, mas sou cristão. O meu governo lutará pela manutenção da família, porque nos governos anteriores colocavam até em livros escolares que [a família] podia até ser formada por um ajuntamento de duas coisas. E tem duas vagas para ministro do Supremo, e um será cristão e evangélico”, destacou o presidente.

PROPAGANDA

De acordo com informações do jornal O Globo, ao concluir sua fala, Bolsonaro voltou-se ao juiz e escritor evangélico William Douglas. Os fiéis presentes ao evento ouviram o discurso do presidente de pé, e manifestaram sua aprovação à ideia apresentada com gritos de “glória a Deus” e “amém”,

PROPAGANDA

Uma equipe de aliados do presidente aproveitaram o final do culto para coletar assinaturas para viabilizar a criação do partido Aliança pelo Brasil, lançado recentemente com pilares como o respeito a Deus e à religião; respeito à memória, à identidade e à cultura do povo brasileiro; defesa da vida, da legítima defesa, da família e da infância; garantia da ordem, da representação política e da segurança.

As vagas que serão abertas no STF até o fim do mandato de Bolsonaro são a do ministro Celso de Mello, que vai aposentar em novembro do ano que vem, ao completar 75 anos, e a do ministro Marco Aurélio Mello, que completará 75 anos em junho de 2021, idade que a aposentadoria ocorre de forma compulsória.

No próximo mandato, o presidente que for eleito indicará outros dois ministros para substituir o ministro Ricardo Lewandowski, que fará 75 anos em maio de 2023, e a ministra Rosa Weber, que chegará à mesma idade no mês de outubro do mesmo ano.

PROPAGANDA

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2019 Noticia Gospel

%d blogueiros gostam disto: