Connect with us

NOTICIAS

Pastor é espancado por extremistas hindus e fica inconsciente, na Índia

Published

on

Pastor é espancado por extremistas hindus e fica inconsciente, na Índia

Extremistas hindus agrediram o pastor Ramesh Pargi no distrito de Dahod, estado de Gujarat, Índia, em 22 de outubro de 2019. (Foto: Reprodução/Morning Star News)

Um pastor ficou inconsciente após sofrer ferimentos graves na cabeça e nas costas na terça-feira (22), no oeste da Índia, depois que extremistas hindus o atacaram por visitar um cristão em uma aldeia vizinha, disseram fontes.

Os oito agressores deixaram o pastor Ramesh Pargi em uma poça de sangue depois de cercá-lo e agredi-lo.

Ele estava acompanhado do pastor Shantilal Virabhai Kalaswa e sua esposa Malika Kalaswa, que também foram espancados enquanto saíam da vila de Jamboti, distrito de Dahod, no estado de Gujarat.

“Eles feriram meu corpo completamente”, disse o pastor Pargi ao Morning Star News por videoconferência, visivelmente com dor enquanto falava de sua cama no Hospital Ortopédico Dhun em Jhalod, distrito de Dahod.

“Quando eles me espancavam, estavam repetindo: ‘Não venha à nossa aldeia para visitar ou pregar – não queremos que os cristãos entrem na nossa aldeia’”, contou.

Sua lesão na cabeça exigiu cinco pontos.

“Ele perdeu cerca de 1.500 mililitros [1,5 litros] de sangue da cabeça no local em que estava inconsciente”, disse o pastor Surmal Damor, exibindo a camisa manchada de sangue do pastor Pargi enquanto o visitava no hospital. “A camisa, a calça e a camiseta estão ensopadas de sangue. Foi tão assustador”.

O pastor Pargi disse que não tinha ideia de quem o levou ao hospital do governo da cidade de Sukhsar.

Um dos agressores usou conexões políticas para convencer a equipe do hospital a se recusar a tratar o pastor, e ele foi encaminhado ao Hospital Ortopédico de Dhun, disse o pastor Damor.

“A última coisa que lembro foi que a esposa do pastor Shantilal foi espancada por varas de madeira nas costas e eu estava sendo espancada por todos os lados por varas de madeira”, disse o pastor Pargi.

Os três cristãos estavam visitando um membro da igreja em Jamboti que havia solicitado que o pastor Pargi viesse orar por ele. O pastor Pargi lidera a Igreja da Sharon Fellowship em Dhadhela, juntamente com o pastor Shantilal Kalaswa.

Os três cristãos visitaram Dula Bhai, que também é tio do pastor Pargi, em duas motos na noite de terça-feira (22) e haviam percorrido cerca de 500 metros fora da vila em seu retorno por volta das 20h, quando um grupo de extremistas hindus os atacou, ele disse.

“Shantilal conseguiu escapar do local depois de ser atingido por uma vara de madeira”, disse o pastor Pargi ao Morning Star News. “Sua esposa Malika tentou escapar, mas não conseguiu correr mais rápido e foi pega e agredida.”

Os oito homens espancaram o pastor Pargi na cabeça, costas, peito, mãos e pernas, disse ele.

“Há muito inchaço no peito, costas e cabeça”, disse o pastor Damor, “o médico só fará exames e radiografias depois que o inchaço diminuir”.

Ele acrescentou que Malika Kalaswa sofreu ferimentos nas costas.

O pastor Pargi disse ao Morning Star News que os agressores haviam ameaçado o cristão que eles visitaram, seu tio, cerca de 10 dias antes, dizendo: “Não adore esse Deus”.

“O tio frequenta minha igreja há cinco anos desde que ele aceitou a Cristo e deixou sua fé hindu, mas nunca enfrentou essas ameaças antes”, disse ele.

A esposa do pastor Pargi, Somli Ben, disse ao Morning Star News que a gravidade do ataque, em que os agressores o deixaram como morto, era sem precedentes na área.

“Estou completamente abalada com o que aconteceu com meu marido”, disse ela. “Eu nunca vi ou ouvi alguém espancar alguém até a morte por apenas visitar os doentes e orar por eles.”

Subinspetor da delegacia de polícia de Sukhsar P.K. Asoda disse ao Morning Star News na quarta-feira (23) que um primeiro relatório de informações foi registrado (FIR nº 1/39/2019) naquele dia e que as investigações estão em andamento.

“Os nomes de quatro agressores foram mencionados na FIR, e os outros quatro serão adicionados à FIR depois que seus nomes forem revelados durante a investigação”, disse Asoda. “Nenhuma prisão foi feita ainda, pois os quatro que foram nomeados na FIR não estavam disponíveis em suas casas. Podemos checá-los à noite e prendê-los.

Ele disse que a polícia realizará uma investigação justa que determinará o motivo. O pastor Damor, no entanto, disse hoje (24 de outubro) que a polícia cedeu à pressão política dos agressores para não fazerem prisões e parou de investigar.

“A polícia não está respondendo às nossas ligações”, disse ele.

Vários pastores no distrito de Dahod, que visitaram o pastor Pargi no hospital, disseram ao Morning Star News que a área nunca havia visto um ataque com tanta severidade.

“Incidentes de pequena escala aconteceram em Dahod e nos distritos próximos no passado, mas não foram muito graves e nunca abordamos a polícia no passado”, disse um pastor.

Extremistas hindus interromperam uma reunião cristã na vila de Dabhada há cerca de seis meses, cercando de 10 a 12 pastores e agredindo-os, disse o pastor Damor, batendo e empurrando-os e rasgando suas camisas.

“Eles foram expulsos da vila pelos agressores que lhes disseram: ‘Não queremos que cristãos entrem em nossa vila’”, disse ele.

Dabhada fica a 3 km da vila de Dhadhela, onde mora o pastor Pargi. De uma família que pratica a religião tribal tradicional, o pastor Pargi confia em Cristo há 20 anos. Ele e sua esposa têm dois filhos, com idades entre 17 e 19 anos, e uma filha casada de 21 anos.

Shibu Thomas, fundador do grupo de ajuda Persecution Relief, disse ao Morning Star News que está preocupado com o crescente número de ataques anticristãos relatados diariamente.

“A perseguição cristã na Índia está aumentando em níveis alarmantes e está se espalhando como câncer pela Índia, tornando a vida de todo cristão imprevisível”, disse Thomas.

“O poder de cura milagroso de Jesus é exercido quando colocamos as mãos nos enfermos e oramos, mas hoje em dia você pode ganhar uma surra e a entrada em um hospital. Os fanáticos religiosos não têm medo de tomar a lei em suas próprias mãos e ficar impunes”, declarou.

A Persecution Relief registrou 302 incidentes de perseguição de cristãos na Índia este ano até agosto, disse ele.

A Índia está classificada em 10º lugar na Lista Mundial da Perseguição da organização de apoio cristão Portas Abertas 2019 dos países onde é mais difícil ser cristão.

O país estava em 31º em 2013, mas sua posição piora a cada ano desde que Narendra Modi, do Partido Bharatiya Janata, chegou ao poder em 2014.

Fonte: Guia-me com informações de Morning Star News

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2019 Noticia Gospel

%d blogueiros gostam disto: